Perdendo a evidência

É escusado dizer o óbvio. Ademais, a escusa é também um requisito. Quando, no entanto, dizemos o óbvio, este soa-nos tautológico e intrusivo: “o mundo está realmente aí”, “eu existo de fato”, “a parte é menor do que o todo”, “homens e mulheres são deliciosamente diferentes.” Contudo, se dermos um passo a mais e tentarmos […]

Losing the Evidence

The “obvious” is that which goes without saying. Indeed, it only really goes when it isn’t said. When we say it anyway, it sounds tautological and intrusive. “The world is really there.”  “I exist indeed.”  “The part is smaller than the whole.” “Men and women are delightfully different.” However, if we take a further step […]